Close

A POLÍTICA EXTERNA RUSSA

A POLÍTICA EXTERNA RUSSA

A politica Externa Russa: Uma Combinação de 4 Vetores

A política externa de um Estado é moldada por uma combinação complexa de vários elementos como a história, a geografia, o poder, os interesses e os valores do Estado em questão. No caso da Rússia, os vetores estratégicos, cuja compreensão é essencial para decifrar as motivações e as ações deste Estado geopoliticamente relevante podem ser considerados 4: economia, cultura, poder militar e a diplomacia.

Contextualização e Evolução Histórica:

A história tumultuada da Rússia exerce uma influência significativa sobre a sua política externa. Desde os tempos do Império Russo até ao momento temporal presente, a procura de uma posição de poder no panorama internacional tem sido um objetivo constante. A Revolução de 1917 trouxe mudanças radicais, dando origem à União Soviética, cuja política externa estava fortemente vinculada à ideologia comunista.

Com o colapso da União Soviética em 1991, a Rússia emergiu como uma potência que procura a sua nova identidade política. Durante a presidência de Boris Yeltsin, o país enfrentou graves desafios económicos e políticos, e a sua política externa procurou consolidar a sua soberania e reconquistar a influência global.

Principais Nomes da Política Externa Russa:

Nomes icônicos, como Andrei Gromyko, Sergei Lavrov e Igor Ivanov, moldaram a política externa russa ao longo das décadas. Gromyko, por exemplo, era conhecido como “Senhor Não” devido à sua firmeza nas negociações internacionais durante a Guerra Fria.
Igor Ivanov desempenhou o papel de Ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia de 1998 a 2004. Ele foi um dos arquitetos da política externa russa durante um período de mudanças geopolíticas após o colapso da União Soviética.
Lavrov, atual Ministro dos Negócios Estrangeiros, tem desempenhado um papel vital na defesa dos interesses russos no panorama internacional contemporâneo.

Vetores da Política Externa Russa:

A Rússia, sob a liderança de Vladimir Putin, procura restaurar a influência perdida após o colapso da União Soviética. A Federação Russa desempanha a sua política externa em 4 vetores principais.

1. Vetor Econômico:

A Rússia, como uma das principais potências mundiais, exerce uma influência considerável no sistema internacional, especialmente no campo econômico. A política externa russa nesse âmbito é moldada por uma combinação de interesses nacionais, recursos naturais abundantes e estratégias para manter e expandir a sua influencia no panorama internacional. Vamos explorar mais a fundo como a Rússia aborda a política externa em relação à economia.

Recursos Energéticos como Carta de Poder:
A Rússia é um dos maiores exportadores mundiais de energia, incluindo petróleo, gás natural e carvão. Essa abundância de recursos energéticos confere ao país uma posição estratégica no mercado global de energia. Empresas estatais, como a Gazprom e a Rosneft, desempenham um papel crucial na exploração, produção e exportação destes recursos, permitindo à Rússia influenciar os preços globais e estabelecer parcerias com outros Estados.

O Papel da Energia na Diplomacia:
A Rússia utiliza a sua riqueza energética como uma ferramenta diplomática para construir relações internacionais e promover os seus interesses. O fornecimento de energia para a Europa poderia ser considerado um exemplo notório. A dependência de alguns países europeus do gás russo permitiu que a Rússia exercesse uma influência política sobre esses parceiros, especialmente no que concerne a questões de política externa.

Exploração de Mercados Emergentes:
Além das suas relações com a Europa, a Rússia procura expandir a sua influência econômica para mercados emergentes, como a China e os países do Oriente Médio. Parcerias estratégicas nestes mercados permitem que a Rússia diversifique as suas opções de comércio e investimento, ao diminuir a sua dependência de parceiros ocidentais.

Sanções e Desafios Econômicos:
As sanções impostas pelo Ocidente à Rússia, em resposta à anexação da Crimeia e ao conflito na Ucrânia, impactaram a economia russa. As restrições financeiras, proibições comerciais e o congelamento de ativos tiveram um impacto negativo na estabilidade econômica do país. No entanto, a Rússia adotou uma postura de resistência e procura reduzir a sua dependência das importações, promovendo a produção nacional.

A Importância da Diversificação Econômica:
A Rússia tem procurado diversificar a sua economia para la da exploração dos recursos energéticos. O setor da tecnologia, por exemplo, tem visto investimentos consideráveis, especialmente na área de IT e cibersegurança. O desenvolvimento de parques tecnológicos e o apoio a startups mostram uma tentativa de reduzir a dependência das receitas energéticas e promover um crescimento econômico mais sustentável.

Parcerias Estratégicas e Alianças Econômicos:
A Rússia também procura fortalecer a sua posição em contexto de alianças econômicas regionais, como a União Econômica Eurasiática (UEE), que visa a integração econômica entre países da ex-União Soviética. Para além disso, a Rússia está interessada em consolidar parcerias com outros países BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), de modo a aumentar a sua influência econômica e política internacional.

A POLÍTICA EXTERNA RUSSA

2. Vetor Cultural:

A cultura é uma ferramenta poderosa para criar laços, influenciar perceções e moldar os relacionamentos internacionais.

Diplomacia Cultural como Instrumento de Influência:
A Rússia tem considerado historicamente a diplomacia cultural como uma forma eficaz de se conectar com outras nações. O Estado russo promove a sua língua, literatura, artes, cinema, música e dança como elementos distintos da sua identidade cultural. Através de festivais, exposições e intercâmbios culturais, a Rússia constrói pontes de compreensão mútua e cooperação.

O Papel da Língua Russa:
A língua russa desempenha um papel central na política cultural russa. O governo russo apoia a disseminação do idioma em diferentes partes do mundo através da promoção de aulas, programas de intercâmbio e a abertura de centros de ensino da língua russa. Isso não reforça os laços culturais apenas, mas também facilita as relações comerciais e diplomáticas.

A Influência da Literatura e das Artes:
A literatura russa, com autores icônicos como Dostoiévski, Tolstói e Tchekhov, desempenha um papel crucial na política cultural externa russa. Eventos literários, como feiras e exposições, não só celebram o legado literário russo, mas também contribuem para a formação de uma imagem cultural positiva do país.

Cinema e Meios de Comunicação como Ferramentas de Soft Power:
O cinema e os meios de comunicação também são usados pela Rússia para promover a sua cultura. A produção de filmes, tanto históricos quanto contemporâneos, contribui para a divulgação da identidade russa e das suas narrativas. Para além disso, canais de notícias internacionais como a RT (Russia Today) fornecem uma plataforma para a perspetiva russa sobre questões globais.

Trocas Culturais e Programas de Intercâmbio:
A Rússia incentiva a cooperação cultural através de intercâmbios artísticos e educacionais. Programas como o “Ano da Rússia” em diferentes países e a colaboração em eventos culturais internacionais permitem à Rússia compartilhar a sua cultura e compreender outras perspetivas.

A POLÍTICA EXTERNA RUSSA

3. Vetor Militar:

A Rússia mantém uma das maiores forças militares do mundo e é um dos membros permanentes do Conselho de Segurança das Nações Unidas. A política externa russa na área militar é uma componente crítica da sua atuação no panorama internacional. A Rússia procura proteger os seus interesses, afirmar a sua posição como ator global e manter o equilíbrio de poder, especialmente em regiões de importância estratégica.

Afirmação da Soberania e Integridade Territorial:
A Rússia considera a sua esfera de influência e a integridade territorial como pilares centrais da sua política militar externa. Este facto foi evidente em ações como a anexação da Crimeia em 2014 e a incursão militar na Ucrânia em 2022, onde o Estado russo alegou proteger a população russófona e os seus interesses estratégicos na região.

Modernização das Forças Armadas:
Nos últimos anos, a Rússia tem investido de forma significativa na modernização das suas forças armadas. Este investimento inclui a atualização de sistemas de armas, equipamentos e treino das unidades militares. Esta modernização visa fortalecer a capacidade de defesa do país e também projetar uma imagem de poderio militar.

Participação em Conflitos Regionais:
A Rússia tem sido um ator ativo em sede de conflitos regionais, como o conflito na Síria. A intervenção militar russa em apoio ao governo sírio foi um marco importante na política externa do país. Além de proteger os seus interesses na região, a Rússia demonstrou s sua capacidade de influenciar diretamente o curso dos eventos.

Relações com Aliados e Parceiros:
A Rússia mantém relações militares estreitas com aliados e parceiros estratégicos, como a China e alguns países do Oriente Médio. Acordos de cooperação militar, treino militar conjunto e venda de armamento são elementos que fortalecem estas relações e contribuem para a influência russa em diversas regiões.

Desafios e Confrontos com o Ocidente:
A política externa russa na área militar também se desenvolve num contexto de tensões com o Ocidente. As relações complicadas com os Estados Unidos e a NATO, por exemplo, impactam as escolhas e estratégias militares da Rússia. Estas tensões podem levar a situações de escalada, como observado na Ucrânia.

Uso da Força e Coerção:
A Rússia não hesita em usar a força militar para defender os seus interesses ou para alcançar objetivos estratégicos. Isso foi observado não apenas na Ucrânia e na Síria, mas também em ações militares menores que visam reforçar a sua posição em áreas contestadas (Chechénia, Geórgia, Transnístria).

A POLÍTICA EXTERNA RUSSA

4. Vetor Diplomático:

A diplomacia desempenha um papel crucial na política externa russa, permitindo que o país projete a sua influência e proteja os seus interesses no sistema internacional. A Rússia procura manter relações construtivas com os seus vizinhos e parceiros globais, além de promover a sua agenda em questões chave, como a segurança, a energia e os direitos humanos. A diplomacia russa é caracterizada ainda por uma abordagem pragmática e uma procura do estabelecimento da multipolaridade nas relações internacionais. A parceria estratégica com a China e a colaboração com os BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) são indicativos dessa abordagem.

Multipolaridade e Equilíbrio de Poder:
A Rússia procura estabelecer um mundo multipolar onde nenhum Estado ou bloco domine completamente os assuntos globais. Este facto reflete o seu desejo de evitar a supremacia ocidental e criar um ambiente de equilíbrio de poder, onde a sua voz seja ouvida e seus interesses sejam respeitados.

Relações Estratégicas e Parcerias:
A diplomacia russa concentra-se em estabelecer e fortalecer relações estratégicas com outros Estados. A parceria estratégica com a China, por exemplo, é um pilar importante da política externa russa, refletindo o objetivo de construir alianças que equilibrem o poder global.

Mediação em Conflitos Regionais:
A Rússia assume muitas vezes o papel de mediador em conflitos regionais, como na Síria e no Nagorno-Karabakh. Esta abordagem permite que a Rússia desempenhe um papel ativo na resolução de crises e consolide a sua posição como ator relevante na arena diplomática.

Defesa de Soberania e Não-Interferência:
A Rússia é uma defensora ferrenha do princípio de não-interferência nos assuntos internos de outros Estados. Este princípio é utilizado para proteger a soberania de outros Estados e, ao mesmo tempo, afirmar a soberania russa em questões internas.

Desafios nas Relações com o Ocidente:
As relações da Rússia com o Ocidente são complexas e muitas vezes tensas, especialmente com os Estados Unidos e a União Europeia. As divergências em questões como a Ucrânia, a Crimeia e a Síria têm levado a uma série de sanções e contramedidas diplomáticas.

Agenda de Segurança Internacional:
A Rússia envolve-se ainda ativamente nas questões de segurança internacional, incluindo a luta contra o terrorismo e o desarmamento nuclear. A diplomacia russa procura fortalecer tratados de não proliferação de armas e promover medidas de segurança global.

Concluindo, a política externa russa é um caleidoscópio de vetores complexos, influenciados por uma história turbulenta e um desejo de recuperar a influência global. Ao entender os motivos por trás das ações russas, podemos ganhar uma visão mais clara das dinâmicas geopolíticas globais. Enquanto a Rússia continua a navegar pelos desafios e oportunidades no sistema internacional, o seu papel como ator relevante do sistema internacional é indiscutível e tem vindo a moldar a geopolítica do século XXI.

Política Externa Russa Política Externa Russa Política Externa Russa Política Externa Russa Política Externa Russa Política Externa Russa Política Externa Russa Política Externa Russa Política Externa Russa Política Externa Russa